quarta-feira, 30 de março de 2011

Quarto Escuro

Passei séculos e séculos trancada num casulo / Num quarto escuro / Sem qualquer exposição do meu verdadeiro eu / Sem qualquer exposição de mim / Só exposição de risos, lágrimas, palavras / Que afinal , não diziam nada. / Nada do que sou, nada do que realmente sou / Não dizia para onde vou / Por onde estive, por onde andei / Não expus nada do que sei. / Sei que sou uma estranha de mim / Dizendo sim, querendo não / Vivendo o Não! / E faço restrição : / Quem pode, quem não pode, Me Conhecer. / Quem pode, quem não pode, Me ganhar. / Quem pode, quem não pode, Me tocar. / Não podia, mas conheceu, ganhou e tocou ! / Então assim, senti-me despida / Tirou minha armadura / Caiu minha proteção / Não havia mais restrição. / Totalmente nua, sob a luz da lua / O meu eu estava exposto / Minhas ideias, meus gostos / Meu rosto sem maquiagem / Meu cabelo ao natural / Minha mente tão desigual / Igualando-se o tempo todo / E o melhor de todas “coincidências” / Acreditar na existência do mesmo Deus / Não Deus como ditador / Deus como amor / Deus como você, como eu. / - Adeus meu casulo, adeus! / - Adeus quarto escuro, adeus!

sábado, 21 de agosto de 2010

ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS?

São tantas coisas que se passam em minha cabeça / E onde estão as respostas? / Eu quero que elas apareçam / Isso bem antes que eu enlouqueça. / Por que toda essa fome? / Por que toda essa desigualdade? / Por que é o egoísmo / A doença da humanidade? / Por que eles se acham / Os donos da verdade? / Por que alguns nascem? / Enquanto outros morrem? / Por que uns sofrem tanto / Enquanto outros dormem? / A Religião ou a Ciência / A maldade ou a inocência? / O pecado ou a pureza? / A feiúra ou a beleza? / Na alegria e na tristeza / Até que a morte os separem / E a morte realmente separa / Ou para o amor a morte se cala? / O que há além do universo? / Existe vida em outro planeta? / Ou somos únicos em todo Espaço Sideral? / Os dinossauros foram seres reais? / Ou é tudo invensão / Será tudo ilusão... / Existem anjos cuidando da gente? / Ou é cada um por si? / Será que existe uma outra vida? / Será bom mesmo ser bonita? / Ou o bom mesmo é o que tem aqui? / O bom mesmo é o que existe aqui? () / Será que vou encontrar respostas / A tais perguntas feitas por mim? / Ou chegará o meu fim / E eu descobrirei que é o começo / E que anjos existem / Que a morte não separa / Que para o amor sim, a morte se cala! / Que Ciência e Religião falam a mesma coisa / Em línguas diferentes / Que Deus é a gente / Descobrirei que o bom mesmo é o que existe aqui / Em cada um de nós / E lá fala uma voz / Que responde as minhas perguntas. / Eu agora me calo / Não existe dúvidas, não existe talvez / Não tenho mais perguntas / As respostas já sei .

O SORRISO DO MENINO

Ele abriu um sorriso / E eu descobri que não era preciso / Ter olhos cor de céu / Para querer provar do mel / Do menino de sorriso bonito. Ele abriu um sorriso / E me mostrou o paraíso/ Tinha um olhar indeciso / De bem-me-quer, mal-me-quer/ Será que é ou será que não é? / Será que é amor?/ Se for amor é a dor/ No fundo do peito/ É a saudade de um sujeito/ Que abriu um sorriso pra mim / O sorriso parecia dizer sim/ Ou o sorriso dizia não / Não me deixe / Não esqueça a canção. Eu vi o menino / Mas cadê o sorriso?/ Menino eu preciso/ Eu necessito / Do teu sorriso menino/ Não guardas contigo/ Divide-o comigo. De tanto pedir / Ele abriu um novo sorriso/ Não vi mais o paraíso / E nem achei que fosse preciso/ Que ele sorrisse de novo / Que não precisasse sentir o gosto/ E nem que os olhos tivessem tal cor/ Para eu descobrir/ Para sentir/ Para eu notar que é amor.

MINHA POESIA

Quando eu escrevo / Fico invisível / Desapareço / Sumo nas linhas / Da caderneta / Depois reapareço / De dentro pra fora / Pra fora do mundo / Pra fora de mim / Fugindo de tudo / Fugindo do fim. / Quando eu escrevo / O mundo tão grande / Se torna pequeno / Num simples papel / Uma gota do mar / Um grão de areia / Um pedaço do céu. / Quando eu escrevo / Não escrevo apenas palavras / Escrevo um mundo / Escrevo o tempo / Minutos, segundos / Escrevo a vida / Sozinha, retida / Na infinidade do universo / Descrevo-a num texto / Descrevo-a num verso. / Quando eu escrevo / Cai tempestade / O mundo se acaba / E eu não percebo / Quando eu escrevo / O pequeno torna-se grande / O feio embeleza-se / Os oceanos de água doce / O Sol, uma grande bola de gelo / O Amor, não posso apenas senti-lo / Posso vê-lo. / Quando eu escrevo / Me sinto Rainha / Com essa minha poesia / Com essa poesia minha.

METAMORFOSE

Ela chegou assim / Me conquistou e coisa e tal / Depois veio a metamorfose / Mudou de fase / Não tá mais legal / Tirou a camuflagem / Sentou a margem / Me confessou / Nada falou / Chorou, chorou, chorou / Sorriu pra mim / "O que foi meu bem? Algo de errado?" / Trocou o passo / Mudou de lado / Esqueceu o choro / Fiquei calado / "Não te amo mais" / Eu nem sabia que ela me amava / Amava, não ama mais / "Vem cá rapaz Eu te amo". / Ela me ama / Devo estar em seus planos / Do final de semana / "Te amo mas não te quero!" / Qual foi meu erro? / Amá-la de mais? / Voltar atrás não poderia / Menina de faces / Garota de fases / Das fases da lua / Garota de fases / Menina me abrace / Preciso de tuas faces / As vezes a chorar / As vezes a sorrir / Menina de fases / Preciso de ti / Depois veio a metamorfose / Mudou de fase / Trocou o passo / Mudou de lado / "Saudades do meu amado" / Eu estava em seu planos / Não apenas do cinema / Do fim de semana / Disfarcei a alegria, limpei o terno / Eu estava em seus planos pra toda vida / Pra vida inteira / De amor Eterno.

quarta-feira, 17 de março de 2010

PERTO DE VOCÊ

Agora eu dei pra escrever coisas de amor / Cartas de amor, frases de amor... / Agora eu dei pra ler coisas de amor / Poemas de amor, histórias de amor... / Agora eu dei pra suspirar a toa / Pra ouvir uma música boa / Na hora de dormir / E ficar lendo a letra da música / Que me faz lembrar de ti / Agora eu sonho acordada / Porque dormir, eu não mais consigo / Então como posso sonhar contigo? / O jeito é passar a noite acordada / Ficando calada / Pensando em você. / Não presto mais atenção na aula / Outro dia o professor brigou comigo / Me pôs de castigo / Ele ainda não sabe / Que não há maior castigo / De estar correndo perigo / De estar apaixonada. / O meu pensamento voa / E leva minha alma / Me leva bem leve / Me leva ... / Pra perto de você.

segunda-feira, 15 de março de 2010

O POETA

"Eu conheci um poeta / Poeta de verdade / Poeta que eu queria ser / Eu conheci um poeta / Que em plena mocidade / Aprendeu escrever / Tem versos tão bons... / Será que os meus são assim?/ Tão meigos, tão doces / Quem dera eles fossem / Escritos por mim. / Não invejo a poesia do poeta / Apenas admiro sua arte / Tua arte me faz admirar-te poeta / Tua arte me faz conhecer-te / Mesmo não sabendo quem tu és. / Eu conheci um poeta / Poeta que gosta de música bacana / Poeta que escuta Legião Urbana / Talvez escute também o Cazuza / E se inspire numa linda e loira musa / Para poder escrever / Para poeta poder ser. / Um poeta que nem tem cara de poeta / Será que existe essa regra, / Do poeta ter cara de poeta? / O poeta sabe usar na hora certa / As palavras de seu dicionário / Criando um mundo imaginário / O poeta é o criador / E as palavras as criaturas / Que usando uma certa doçura / Doçura essa que só o poeta tem / Adoça as palavras/ E emociona a quem as leem. / Eu conheci um poeta / E me inspirei no poeta / Para escrever meus versos jogados / Pelos ventos levados / Até as mãos do poeta / Até teus olhos Poeta ..."

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

DIANTE DO ESPELHO

"Ele reflete o reflexo do reflexo do que acho que sou / Mas será isso que sou? / Só sei que ele me viciou / Me viciou em olhar pra ele / Me viciou no meu batom / E o meu cabelo, será que tá bom? / Xí, engordei mais um pouquinho / Está vendo aquelas gordurinhas diante do espelho? / São minhas!!! / Se acordo de mau humor, não sou eu quem está lá! / É aquela bruxa malvada de branca de neve / Que aparece diante do espelho. / Mas se acordo feliz / Mesmo estando de mal com minha boca e com meu nariz / Quem é que vejo, diante do espelho? / A branca de neve em pessoa, / Mesmo eu não sendo branca e muito menos de neve / É ela que está lá! / Antes de qualquer coisa na vida / Desde comprar pão na esquina, a ir a maior festa do ano / Tenho antes que fazer uma vizitinha (ao espelho) / Checar tudo, desde às unhas dos pés a principalmente o meu cabelo. / Pois minha vida é dura / E o meu cabelo? / Mais duro ainda!!! / Visto uma roupa / Fico diante do espelho / Olho e olho mais um pouco / Que droga! Está um horror! / Parece mais um fantasma de um filme de terror! / Então coloco outra e outra e mais outra até que pronto!/ Desisto e não saio mais de casa! / Não tenho uma roupa bacana / Com uma me sinto gorda / A outra me deixa magra de mais / Com uma me sinto feia / Nenhuma me satisfaz. / No mesmo dia saio para comprar / Compro, compro e compro / Me vejo em vários ângulos / Me vejo em toda parte / Me vejo no espelho de um carro / Me vejo numa obra de arte / Afinal,eu sou uma obra de arte! / É ele quem diz: o espelho! / E eu pergunto śó pra confirmar: / Espelho, espelho meu / Existe nesse mundo alguém mais belo do que eu? / Ele não fala absolutamente nada / Fica quieto, fica mudo / Mas eu já sei o que ele está pensando / Sou a mais bela deste mundo! / Em casa,passo horas e horas,diante dele (do espelho) / Que agora se tornou o meu namorado / Ah! E como ele é amado... / Eu tenho que confessar: / Eu passo horas e horas / Eu passo o dia inteiro / A arrumar meus cabelos / Eu passo horas e horas / Eu passo o dia inteiro / Diante do espelho"